Ainda a propósito da indemnização a Paulo Pedroso  

1- Uma dúvida: se foi legítimo afirmar que se estava perante uma cabala política, tendente a decapitar o PS de Ferro Rodrigues e outros dirigentes, considerados mais à esquerda, quando Paulo Pedroso foi acusado de abuso sexual sobre crianças, não será também legítimo pensar que a decisão de o indemnizar em mais de 130 mil euros, não contou também com movimentações do poder político? Pessoalmente não acredito em nenhuma das teses. E no entanto ambas podem ser verdadeiras. Como as bruxas. Que las hay...las hay.

2 - Sócrates mostrou satisfação pública com a decisão do juiz e procedeu mal. Fica bonito a Sócrates defender um amigo mas a um chefe do Governo em funções, pede-se prudência e sobretudo a defesa dos interesses do Estado, antes dos amigos. Defender o interesse do Estado, até serem esgotadas as possibilidades de recurso e existir uma decisão definitiva. Enquanto chefe do Governo e em nome da separação dos poderes, deveria ter reservado a sua opinião e demonstrado a sua satisfação, no domínio privado. Assim tomou partido contra o Estado, antes da justiça definitiva e tentou condicionar o Ministério Público para o recurso. Assim não!


5 comentários

  • Anónimo  
    4 de setembro de 2008 às 08:08

    Especulação por especulação, cá vai mais uma:
    “A decapitação da direcção de esquerda do PS, porventura a única que teve, pode não ter sido obra da direita!”


    José Carrilho

  • Fernando  
    4 de setembro de 2008 às 18:43

    talvez Carrilho. mas estou mais inclinado a acreditar é que associação do processo Casa Pia a uma estratégia (de quem?) para decapitar o PS de então, é que me parece uma cabala bem montada. Na verdade o caso, Casa Pia, existiu mesmo.

  • josé manuel faria  
    4 de setembro de 2008 às 20:04

    Decapitação da direcção do PS. Não acredito. O "caso Casa Pia" é muito mais complexo e transversal do que uma questão política.

  • Anónimo  
    4 de setembro de 2008 às 22:20

    Pois é!!!!

    «Na verdade o caso, Casa Pia, existiu mesmo.», escreves! Evidentemente, o caso existiu mesmo e, pior que ter existido (ou existe ainda) é o facto de haver vitimas. De haver gente, crianças e adultos vexados, humilhados, destruídos…

    Existiu! Existe!

    Também o incêndio do Reichstag existiu. Na noite de 27 de Fevereiro de 1933
    Hitler contemplou o Reichstag em chamas, e terá mesmo comentado: “-Ein Zeichen von Himmel!” (um dom do céu).

    Aquele incêndio era tudo o que os nazis precisavam para criar um clima que lhes desse a maioria eleitoral de que precisavam para alterar a constituição. Se nele envolvessem os comunistas, então seria ouro sobre azul…

    Por isso Dimitrov foi acusado de provocar o incêndio.

    A historia conta que Dimitrov deu a volta por cima…

    Porque me lembrei deste caso?

    Sei lá… são coisas que me atormentam o espírito. Sabes Fernando estou convencido que o incêndio do Reichstag existiu mesmo, e calhando Dimitrov não foi o incêndiario.

    Pois! Na verdade o caso, Casa Pia, existiu mesmo. E não é menos verdade que o Ferro acabou num "exílio dourado" nessas europas e o Pedroso envolvido nessa coisa monstruosa e o Socrates acabou a liderar o PS, o país e a escancarar as portas da coisa publica a sanha neoliberal.

    E a esquerda do PS foi fazer companhia ao "socialismo" que um dia o Soares meteu na gaveta. Estás lermbrado?

    Como é evidentemente, estou apenas a especular.


    José Carrilho

  • Anónimo  
    11 de setembro de 2008 às 11:24

    ESPECULAÇÃO! BLUFFF! A CASA PIA É UMA REALIDADE, o INCENDIO do REICH FOI!

Enviar um comentário