Para o ano é que vai ser  

O Governo português é o único dos países da zona euro a prever um crescimento do PIB (em 2007 foi um dos mais baixo da União), em desalinho com os restantes países europeus, que face à conjuntura internacional, prevêem uma desaceleração do ritmo de crescimento.

Precisamente no mesmo dia que Sócrates afirma vir a ser “2008 o ano do crescimento económico e do regresso do investimento”, a bolsa português regista a maior queda dos últimos 10 anos, em linha com as bolsas mundiais, depois de cinco sessões consecutivas a baixar. Segundo ainda, as últimas notícias parece que o défice público de 2007 vai ficar abaixo dos 3%.

Escusam portanto, a maioria dos portugueses de andarem cabisbaixos, deprimidos e pessimistas. Depois dos sacrifícios "necessários" aí está o paraíso ao virar da esquina. Para começar vem aí a descida dos impostos. Ou será que não? Talvez lá para o ano... ano de eleições.

Este Governo é o campeão da propaganda da mentira!


1 comentários

Enviar um comentário