Governo cúmplice em actos bárbaros?  



Esta notícia não pode deixar ninguém indiferente. Parece que as últimas dúvidas, se ainda as havia, se esfumaram completamente. Segundo a informação veiculada pela organização não governamental britânica Reprieve, Portugal seria a ponte aérea de transporte dos prisioneiros, com destino à prisão privado dos Estados Unidos em Guantanamo.

Estamos perante um verdadeiro escândalo que deve ter, no mínimo, consequências políticas, depois de sucessivos desmentidos e “indignação” do Primeiro-ministro Sócrates e do Ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado, face a “acusações” inscritas no relatório da comissão europeia que investigou o assunto.

A ser verdade (e os dados parecem ser esclarecedores), não estamos a falar de incompetência. Estamos a falar de cumplicidade, de consentimento, de aprovação do Governo português, com os actos bárbaros da administração americana, sobre cidadãos, vítimas de todos os abusos e crueldades, sem acusação formal, sem defesa e sem julgamento.


2 comentários

  • Helena  
    29 de janeiro de 2008 às 21:01

    Esta noticia ja nem me choca; tive sempre a sensação que essa cumplicidade sempre existiu...se não fosse o caso, ja haveria havido algum processo sobre isso.
    Parece que vivemos numa época ainda mais barbara que em tempos de guerra, onde tudo é feito as escondidas, onde a crueldade existe e é horrifiante.

    Claro que nunca nos devemos calar e é o que penso Fernando, sabes o bém...
    Por isso continua sempre assim :)

    Um beijo grande

  • Marco Gomes  
    30 de janeiro de 2008 às 15:48

    Pois é caro Fernando.
    A política internacional ocidental é a hipocrisia mais peculiar que existe.

    Todos sabem quem pauta esta hipocrisia. Uma hipocrisia demais evidente e sempre encoberta e ao mesmo tempo descoberta. Um paradoxo que é preciso acabar.

    Abraço.

Enviar um comentário