As políticas que interessam  

No último ano o número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção aumentou em mais de 50 por cento.

É preciso dizer mais alguma coisa?

Também se ficou hoje a saber que os jovens que entram agora no mercado de trabalho, ganham menos que há dez anos atrás, apesar de uma qualificação académica e técnica superior, e que o vínculo laboral é mais precário, 80 por cento a recibo verde, e que os direitos sociais são quase inexistentes. Mais de trinta anos depois do 25 de Abril, as novas gerações correm o risco, de viver pior que as dos seus pais. Uma vergonha!

Apesar de todas as sondagens apontarem para um crescimento sustentado à esquerda, nem isso me satisfaz. Porque o essencial não muda. Uma mudança nas políticas. É preciso fazer mais alguma coisa. Não podemos ficar reféns das alternâncias de Governo no Bloco Central (ora o PS ora o PSD) e de supostos votos úteis. Não é mais meia dúzia de deputados à esquerda que vai resolver os nossos problemas. É preciso criar condições para uma ruptura a sério na esquerda. Uma nova esquerda para governar.

O Governo do Partido Socialista saiu pior do que a encomenda.


1 comentários

  • Helena  
    21 de maio de 2008 às 13:24

    Hoje andamos a construir o futuro de amanhã, o futuro para nossos filhos e netos.
    Hoje temos o presente "construido" por nos, nos anos atraz.
    Depois do 25 de abril, o povo deixou de lutar, pensando que tudo iria vir assim...
    E hoje estamos a pagar isso.
    Nunca vi Portugal como esta neste momento, ha 40 anos que ai volto, nunca vi o povo tão apertado e hoje as pessoas o dizem.
    Mesmo assim, o povo continua a acreditar nesse governo...e assim nas proximas eleções esses senhores engenheiros e outros irão continuar a enganar o povo.
    Aqui em França, a vida esta a levar o mesmo caminho. Nosso presidente Sarkozy esta a copiar sobre Socrates.

    Um beijo fernando.

    é sempre um prazer comentar teus posts.

Enviar um comentário